Totem & Tabu: a proibição do incesto e as fantasias primárias | Sedução, castração cena primária

Bates Motel psicanálise
Moraes, B. A proibição do incesto e o horror ao mesmo: Sedução, cena primaria e castração. Espaço Penseé. Santos/SP. 2020

Em totem & Tabu, Freud questiona a proibição do incesto e o horror ao mesmo, presente em todas as culturas humanas e em todas as épocas, na busca da compreensão do que teria estruturado os sujeitos sociais, tema que era uma das principais questões presentes entre as comunidades acadêmicas do século XIX.

As três grandes fantasias fundamentais do sujeito

Refletindo sobre três grandes fantasias fundamentais, a fantasia da sedução, a fantasia da cena primária ( onde o bebê presencia a relação sexual dos pais) e a fantasia de castração, e também a tamanha hostilidade que os sujeitos apresentavam a figura do pai, o autor pensa na ambivalência, algo comum aos sujeitos falantes, a inversão do sentido da coisa, e em todos os casos, a inversão dessas fantasias surgiam em análise.

Freud notou que em algumas culturas, existia a noção de tabu, algo sagrado, que não pode ser dito, não poderia ser pensado, não poderia ser comido ou tocado, mas que no entanto, como nos casos de alguns animais que eram sagrados, poderiam ser sacrificados e comidos em uma condição ritualística, elucidando algo de uma inversão das fantasias.

A inversão das fantasias

Na ambivalência, muitas vezes aquilo que amamos, admiramos, desejamos é invertido para o seu oposto. Então haveria uma equação que poderia dizer de como a criança pensa, seu pensar simbólico, como os psicóticos pensam e como as sociedades primitivas pensavam. Com isso ele considerou três etapas pelas quais as populações passam, em uma espécie de hierarquização, onde na primeira, haveria o pensamento animista, a crença de que o pensar pode modificar a realidade em uma logica de punição ou gratificação, em seguida viria o estagio religioso, e por fim o estágio cientifico. Podemos pensar segundo o autor, que esses três estágios também se aplicam ao desenvolvimento dos sujeitos, passando por cada uma dessas etapas. No mito do Urvater, haveria um pai da horda, que afastando os homens se apossava de todas as mulheres, em dado momento, os filhos se uniram para matar este pai, ocupando assim o seu lugar, ao mesmo tempo que aquele que ocupasse o lugar do pai, era imediatamente morto pelos irmãos.

Totem & Tabu – : Alguns Pontos de Concordância entre a Vida Mental dos Selvagens e dos Neurótico

O que ocorre então é uma espécie de pacto, que viria a ser o que Freud chamou de totem, uma condição simbólica, onde surgiu a interdição do incesto, onde nenhum homem poderia ter todas as mulheres, uma regra que daria luz as leis de proibição do gozo. O mito elucida as vivencias primárias de cada sujeito, relevando a proibição do incesto pelo terceiro da relação, o nome do pai, e é nas fantasias de morte da figura simbólica do pai, que se estrutura o sujeito, um sujeito barrado pelo rochedo da castração.

Fontes: Totem e Tabu: Alguns Pontos de Concordância entre a Vida Mental dos Selvagens e dos Neuróticos – Freud – 1913

#psicanalise#psicanálise#Freud#totem#tabu#psicologia

Psicólogo Bruno Moraes
Bruno Moraes – Psicólogo

Informações do autor:

Esta gostando do conteúdo? Compartilhe

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Mais publicações:

Introdução à Psicanálise: De Freud a Lacan

Começo aqui uma jornada de várias aulas de introdução a psicanálise Lacaniana, focada nos trabalhos e ideias do importantíssimo psicanalista Francês Jacques Lacan. Nessa primeira aula, vamos explorar os conceitos fundamentais da Psicanálise. Se você tem interesse em psicologia ou está curioso sobre as teorias de Jacques Lacan, assista o vídeo até o final. Vamos abordar temas como o inconsciente estruturado como uma linguagem, os três registros (Real, Simbólico e Imaginário), o Estádio do Espelho, o Nome-do-Pai, o desejo e o objeto a.

Continuar leitura...