A psicologia do esporte e do e-sports.

A psicologia do esporte e do e-sports.
Moraes, B. A psicologia do esporte e do e-sports.. Espaço Penseé. 2020

Tema sugerido pela equipe da @topoesports.

O esporte é identificado por elementos como força, superação de limites, vitória e supremacia.

Eduardo Neves Pedrosa de Cillo

A psicologia do esporte e do e-sports.

Toda a equipe profissional como os médicos, fisioterapeutas, psicólogos e etc. estão em busca dos melhores resultados possíveis para aquela equipe. Nesse sentido, os atletas tem suas capacidades físicas e psicológicas constantemente colocadas em seu limite máximo. O atleta para obter um bom desempenho ele depende de quatro fatores: Preparação física, técnica, tática e psicológica.


É importante conhecer a história do atleta, seus desejos, sonhos, ambições, se sua busca por sucesso naquele esporte está baseada em seus próprios interesses, ou se, como frequentemente vemos, a ambição parte de um terceiro, de um familiar ou qualquer outra pessoa. Muitos atletas começam desde cedo na busca por aperfeiçoar-se em um determinado esporte, e seguem muitas vezes caminhos que buscam incansavelmente a realização dos sonhos de outras pessoas.


Por isso é importante ter um cuidado maior quando estamos falando do sujeito e de suas singularidades, pois o apoio familiar pode agir em função de valorizar o atleta, tanto quando fazer com que ele abra mão de seus desejos para seguidor os ideais do outro.
É importante dizer, que quando estamos falando de psicologia do esporte, estamos considerando a saúde do atleta, e não apenas a vitória. A vitória a qualquer custo pode acabar saindo muito caro para o atleta, se tratando de prejuízos físicos e psicológicos.


Muitas vezes o medo de perder o lugar na equipe, ser demitido ou perder o lugar de atleta, leva o mesmo a se submeter a exigências que a curto prazo podem levar a sensação de desrespeito e injustiça, a médio prazo frustrações, conflitos e estresse, e por consequência a longo prazo a queda da produtividade.

É comum vermos os atletas se submeterem a exigências pessoais, institucionais e da torcida, eventualmente essas exigências vão direciona-lo a uma busca incansável pela vitória, afinal, é pela vitória que se compete. Nota-se que na lógica do esporte, o atleta atinge seu ápice quando possui uma boa média de vitórias, no entanto, eventualmente também é preciso lidar com a derrota, com a frustração, com a perda.

Nesse sentido, percebe-se que um sentimento comum permeia pelos atletas, o sentimento de que a qualquer momento ele pode ser descartado ou substituído por conta de seu baixo rendimento. Cabe ao psicólogo propiciar que o atleta enxergue, não apenas vitórias e competições, mas também sua vida e sua subjetividade. Visando uma melhor qualidade de vida sem deixar de lado a questão profissional e os seus objetivos.


No que se trata da psicanalise, mantem-se a escuta para além da clínica. A escuta permitirá que o atleta também se escute e caminhe assim, na direção da elaboração dos seus sintomas. Muitas vezes esse atleta pode desistir da carreira, por identificar por exemplo, que seu desejo estava em outra direção. Em outros casos o rendimento pode ser ampliado, na medida em que o sujeito se apropria de si mesmo. Para além da lógica de produção, a psicanalise escutará o sujeito da linguagem que se apresenta.


No contexto de E-sports, vemos uma nova modalidade que aos poucos tem conquistado o mundo. A dinâmica dos jogos digitais trás consigo todos os aspectos mencionados anteriormente, a busca pela vitória, competitividade e etc. Sendo assim, trata-se de trabalhar com a equipe aspectos do seu cotidiano, tanto quando condições subjetivas de ser.

Em todos os casos, o desempenho está profundamente atrelado a qualidade de vida, e é com a qualidade de vida que o psicólogo se propõe trabalhar. Nos jogos virtuais, é preciso gerar incentivo também para que o corpo seja trabalho, uma vez que as competições, jogos e treinos acontecem por intermediação de dispositivos eletrônicos e pouco movimento corporal, atividades como alongamentos e outras performasses físicas podem auxiliar a equipe a evitar sintomas corporais a longo prazo.

Psicólogo Bruno Moraes
Bruno Moraes – Psicólogo

Informações do autor:

Esta gostando do conteúdo? Compartilhe

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Mais publicações: